Desenvolvimento das características primárias

Sexo - Aspectos básicos da sexualidade humana

Desenvolvimento das características sexuais primárias


Clique na imagem

A diferença física entre os dois sexos não é tão grande como pode parecer à primeira vista. Mesmo os órgãos sexuais femininos e masculinos são muito semelhantes estruturalmente. De facto, nas primeiras semanas de desenvolvimento são praticamente indistinguíveis. Só após o seu crescimento subsequente antes do nascimento e depois durante a puberdade, é que se tornam complementares entre si com o fim da procriação. Contudo, mesmo assim é possível encontrar correspondência, i.e. estruturas “homólogas” que originaram a mesma massa celular.

Raparigas:

Antes do parto

Ambos os sexos começam de uma base comum
Os embriões do sexo feminino e masculino permanecem indiferenciados durante as primeiras semanas da sua vida. Possuem já cabeça e membros que começam a crescer para dar lugar a braços e pernas. Apresentam também uma crista de tecido destinada a originar os órgãos sexuais. Contudo, tudo o que é possível ver nesta altura é uma bosseladura (sugestiva do sexo masculino) e uma fenda (sugestiva do sexo feminino).

Desenvolvimento típico da mulher
No embrião feminino, a bosseladura dá origem ao clítoris, e a fenda permanece aberta. Gradualmente dá origem aos lábios internos e à parte anterior da vagina. Duas massas de pele de cada lado, desenvolvem-se para dar origem aos grandes lábios. Outra massa celular dá origem aos ovários. À nascença, os órgãos sexuais internos e externos são claramente definidos como femininos.

Durante a puberdade

Os órgãos sexuais femininos apenas atingem o seu tamanho e função definitivos, durante a puberdade, geralmente entre as idades de 11 e 13 anos. São indicativos da maturidade sexual, o crescimento de pêlo púbico e a primeira menstruação.

Rapazes:

Antes do parto

Ambos os sexos começam de uma base comum
Os embriões do sexo feminino e masculino permanecem indiferenciados durante as primeiras semanas da sua vida. Possuem já cabeça e membros que começam a crescer para dar lugar a braços e pernas. Apresentam também uma crista de tecido destinada a originar os órgãos sexuais. Contudo, tudo o que é possível ver nesta altura é uma bosseladura (sugestiva do sexo masculino) e uma fenda (sugestiva do sexo feminino).
 

Desenvolvimento típico do homem
No embrião masculino, a bosseladura dá origem ao pénis, e a fenda encerra. Outra massa celular origina os testículos, que começam a produzir a hormona testosterona. Esta hormona, por sua vez, estimula o crescimento e diferenciação. (Sem ela, o embrião cresceria “anatomicamente” para se tornar feminino.) Duas massas de pele de cada lado da bosseladura, desenvolvem-se para dar origem ao escroto. Entre o sétimo e o nono mês de gravidez, os testículos descem para o escroto. (Se não descerem, torna-se necessária correcção futura para prevenir infertilidade.) À nascença, os órgãos sexuais internos e externos são claramente definidos como masculinos.

Durante a puberdade

Os órgãos sexuais masculinos apenas atingem o seu tamanho e função definitivos, durante a puberdade, geralmente entre as idades de 12 e 17 anos. São indicativos da maturidade sexual, o crescimento de pêlo púbico e a primeira ejaculação de sémen.
 

[Curso 1] [Classificação] [Desenvolvimento de 1] [Desenvolvimento de 2] [Desenvolvimento de 3]